Pediatria do Desenvolvimento e Comportamento

artigo-destaque

Como área específica para o cuidado da criança e do adolescente a Pediatria se enquadra como uma das mais jovens considerando a longa história da medicina. O primeiro livro sobre as doenças de criança foi publicado em 1472  e os avanços ocorreram após o Renascimento e principalmente a partir  século XVIII. Em 1802 foi inaugurado em Paris o primeiro hospital pediátrico do mundo e desde então os avanços tem acontecido em proporção geométrica. Da mesma forma o conhecimento sobre desenvolvimento e comportamento da criança sempre acompanhou a evolução da Pediatria. Desde meados do século dezenove varias observações clínicas descreveram  quadros hoje bastante conhecidos como por exemplo o TDAH e problemas de comportamento. Ao longo do século XX a evolução dos cuidados pediátricos trouxe mudanças decisivas para a saúde infantil e com elas  uma nova agenda de situações que afetavam as crianças e suas famílias. As novas demandas trouxeram também interesse de muitos pediatras sobre o desenvolvimento normal e suas variações. Arnold Gessel pediatra e psicólogo foi um dos precursores da observação sistemática de crianças. Desenvolvendo seu trabalho na primeira metade do século XX, forneceu as bases para os estudos subsequentes sobre o desenvolvimento e comportamento da criança.

Os relatos clínicos e observações de Gessel geraram questionamentos a respeito da etiologia e fatores de risco que por sua vez transformaram-se em  pesquisa e o conhecimento nessa área cresceu de forma exponencial. Desde o estudo  conduzido por Emmy Werner que acompanhou uma coorte de nascimentos desde 1955 até a meia idade, descrevendo a resiliência e seus fatores associados; de Urie Bronfenbrenner que desenvolveu a Teoria Ecológica do Desenvolvimento, inúmeros pesquisadores de várias áreas trouxeram as evidências sobre a importância do comportamento e desenvolvimento  para a prática clínica da pediatria.  Na década de 50 foram criados dois programas denominados “psychological pediatrics” no Children’s Hospital of Philadelphia e na Johns Hopkins, que foram o embrião dos estudos em comportamento da criança sob a ótica de um departamento de pediatria.

Na década de 60 a criação dos centros de desenvolvimento afiliados à diversas universidades consolidaram o ensino e pesquisa em desenvolvimento. Pediatras como Morris Green, Julius Richmond, Robert Haggerty, e Barry Brazelton e Sanford Friedman sistematizaram o conhecimento e difundiram a importância do conhecimento do funcionamento das crianças suas famílias e da influência do meio social onde viviam. Ao mesmo tempo que a demanda se apresentava , existia a necessidade de reforçar a formação dos pediatras. Em 1982, financiada pela W. T. Grant Foundation, foi formada por onze diretores de programas de residência em pediatria a The Society for Developmental and Behavioral Pediatrics” que tinha como objetivo treinar os residentes de pediatria  nesse campo. Em 1999  a Pediatria do Desenvolvimento e Comportamento foi aprovada como especialidade da Pediatria. Durante anos seguintes a maioria das universidades americanas desenvolveram seus departamentos de pediatria do desenvolvimento. Em 2002, o American Board of Pediatrics começou a certificar pediatras do desenvolvimento e comportamento.

No Brasil estamos desenvolvendo essa area de forma consistente. A criação do Departamento de Pediatria do Desenvolvimento e Comportamento na Sociedade Brasileira de Pediatria, traz esse campo para dentro da discussão científica da formação e informação para o pediatra. A residência de pediatria de três anos já contempla de forma decisiva o conhecimento sobre desenvolvimento e já contamos com publicação específica em formato de manual  para instrumentalizar os pediatras na prática diária.

A inclusão dos temas de desenvolvimento e comportamento e cursos de atualização presentes em todos os eventos da SBP e também a parceria com outras associações como ABENEPI e Sociedade Brasileira de Psiquiatria   confirmam o compromisso da expansão dessa área de conhecimento. A Pediatria do desenvolvimento e comportamento vem somar esforços com todos aqueles que trabalham na promoção da saúde mental da criança, e como foi colocado por Stan Friedman que na década de 70 cunhou o termo Pediatria do Comportamento;  “A pediatria do desenvolvimento mantém a tradição pediátrica de enfatizar a prevenção e promoção de saúde, adotando a orientação curativa e reabilitadora sempre como a “segunda melhor” . Os que estão identificados com a pediatria do desenvolvimento não se proclamam técnicos  nos principais problemas psiquiátricos da infância , porém enfatizam a intervenção e o tratamento precoce dos problemas menos graves e mais prevalentes.

Por

Dr. Ricard Halpern