Sugestão de Pauta Volta às Aulas

De caráter interdisciplinar e multiprofissional, a ABENEPI – Associação Brasileira de Neurologia e Psiquiatria Infantil e Profissões Afins se diferencia pelos diversos saberes complementares reunidos em torno do propósito de cuidar do que nos faz humanos desde os primeiros anos, convictos de que isso é fundamental para o desenvolvimento da sociedade. Cuidar das crianças para que se desenvolvam bem, com mentes saudáveis, não é cuidar do futuro. É fazer pelo presente. É nosso interesse conversar com as famílias, educadores e profissionais que lidam com a infância, além da sociedade em geral. Por meio da imprensa, é possível levar essa importante mensagem para o mundo: mentes saudáveis constroem um mundo melhor. Os porta-vozes (profissionais da saúde e educação) estão espalhados pelo território nacional. Composta por capítulos estaduais, os integrantes da ABENEPI são capazes de atender a imprensa de forma regionalizada

Volta às aulas: como minimizar os efeitos negativos do retorno à escola (e à rotina)

Psicopedagoda dá dicas para faciltar um período que pode ser estressante para as crianças e suas famílias

As férias escolares estão chegando ao fim e aproxima-se o momento em que as crianças deverão retornar à escola. Esse período que antecede a volta às aulas costuma ser estressante para famílias e os pequenos. As longas horas de sono, o lazer variado e a descontração serão substituídos pela rotina diária e rígida que envolve as atividades acadêmicas. Além disso, este costuma ser um momento difícil de transição para a maioria dos estudantes, já que enfrentarão o desafio de uma nova série escolar. Mudança de professores, chegada de novos alunos, objetivos mais complexos a serem atingidos e expectativa dos pais em relação ao desempenho acadêmico na nova etapa escolar são situações que podem gerar estresse excessivo para as crianças, podendo, inclusive, gerar alterações comportamentais.

Segundo a psicopedagoga e psicomotricista, vice-presidente da ABENEPI – Associação Brasileira de Neurologia e Psiquiatria Infantil e Profissões Afins, Sônia das Dores Rodrigues, para evitar o agravamento desta situação, é aconselhável preparar as crianças para a volta às aulas. “Com condutas e atitudes certas, pode-se demonstrar que o retorno à escola (e à rotina) não precisa necessariamente ser difícil”, adiantou.

Confira algumas dicas que a psicopedagoga preparou para orientar as famílias:

  1. Ouça o que a criança tem a dizer. Converse com a criança e identifique quais são seus medos e preocupações. Demonstre empatia, seja positivo e fale sobre as situações alegres, emocionantes e divertidas que poderá vivenciar ao longo do ano letivo.
  2. Antecipe a rotina: Com alguns dias de antecedência estabeleça horários para dormir, acordar e fazer as refeições. Estes horários devem ser semelhantes ao que a criança vivenciará ao longo do ano letivo.
  3. Organize o ambiente e o material de estudo. Junto com a criança, organize o local em que as tarefas escolares serão realizadas. Este deve ser arejado, limpo e tranquilo. Também há necessidade de organizar (em caixas, ou gavetas) os livros, cadernos e todos os materiais que serão utilizados ao longo do ano letivo (tais como lápis, canetas, borrachas, folhas, réguas, apontadores, etc). Mantenha um estoque razoável destes últimos e verifique mensalmente a necessidade de fazer reposições. Tal conduta certamente evitará correrias de última hora.
  4. Organize e monitore o tempo: O dia-a-dia de pais e crianças costuma ser “apertado” em relação ao tempo e não é incomum que haja discussões, estresse e atrasos no momento de ir para a escola. Para evitar essas situações, é importante que horários sejam estabelecidos e a rotina seja organizada. Inicialmente, defina horário para a criança deitar-se e levantar-se. Uma boa noite de sono é fundamental para o adequado aprendizado. Pela manhã, o tempo deve ser suficiente para que se realize a higiene, vestuário e alimentação. A chegada antecipada à escola certamente propiciará tranquilidade e condições favoráveis para o uso das funções cognitivas necessárias ao aprendizado escolar.
  5. Prepare o material escolar com antecedência: A verificação da mochila e do material escolar deve ser feito com antecedência, em geral na noite anterior. As crianças mais novas certamente necessitarão de supervisão, mas é importante que se estimule gradativamente a autonomia das crianças, de modo que estas possam realizar esta e outras tarefas acadêmicas com independência.
  6. Elabore um calendário semanal de atividades: Junto com a criança, programe as atividades semanais que serão realizadas durante  o ano letivo, estabelecendo horários para realização de deveres escolares e atividades extracurriculares (cursos e atividades esportivas, por exemplo). Importante: atente-se para os limites da criança. Ouça-a e não a sobrecarrega com atividades excessivas. Lembre-se também que um programa semanal deve contemplar momentos de ócio, em que a própria criança escolhe o que quer fazer em casa (brincar, assistir TV, dormir, jogar, conversar, ou simplesmente não fazer nada). 
  7. Ensine e estimule o uso de agenda escolar. Normalmente, coordenadores e professores costumam elaborar um calendário prévio de atividades que serão desenvolvidas ao longo do semestre, tais como, trabalhos acadêmicos, provas, testes, estudos do meio, etc. Para o sucesso da realização das mesmas, e consequente aprendizado acadêmico, é importante que pais e professores ensinem, estimulem e cobrem o uso de agenda escolar. Tal conduta, além disso, auxilia à criança o aprendizado da autorregulação e da elaboração de estratégias efetivas e eficazes de aprendizado. 
  8. Mantenha comunicação e envolvimento com a escola. Parte do sucesso acadêmico da criança depende da qualidade da comunicação entre pais e escola. Se aos profissionais da educação cabe estabelecer estratégias adequadas de ensino, aos pais cabe manterem-se atualizados sobre o desempenho e comportamento de seus filhos na escola. Sendo assim, tenha sempre uma relação amigável e de respeito com os profissionais da educação e envolva-se nas atividades curriculares e extracurriculares de seu filho.
  9. Ensine valores e seja exemplo para seus filhos. Grande parte dos problemas enfrentados pelas crianças na escola são decorrentes da relação destes com seus pares. Respeito ao próximo, educação, cumprimento de regras, solidariedade, capacidade de ouvir (e aceitar) opiniões divergentes e aceitação da diferença são alguns valores básicos aprendidos em casa e reforçados pela escola. Aos pais, então, cabe não só ensinar valores positivos aos seus filhos, mas também serem exemplo de conduta para os mesmos. Lembre-se, é na escola que as crianças colocarão em prática os valores ensinados e vivenciados em casa.
  10. Por fim, mantenha a tranquilidade. Tenha em mente que o possível mal humor inicial gradativamente será substituído pelo prazer de rever os amigos, fazer novos e envolver-se com o aprendizado geral que somente a escola propicia. 

Assessoria de Imprensa:

Arvore – http://arvore.cc/Aline Rosaalinea@arvore.cc  – (31) 988923987